Cervejas gourmet

A popular cerveja ganhou status e virou bebida gourmet, brilhando imponente em mesas sofisticadas.

01/11/2013

Cervejas gourmet

 

A popular cerveja ganhou status e virou bebida gourmet, brilhando imponente em mesas sofisticadas.

A Reinheitsgebot – lei alemã da pureza da cerveja (1516) – determinava que a bebida deveria ser produzida utilizando-se apenas água pura, malte (de cevada ou trigo), lúpulo e levedura. No entanto, algumas cervejas recebem em sua fabricação outros cereais, como milho, arroz e aveia, além de frutas, açúcares e até mesmo alguns adjuntos químicos, como estabilizantes e conservadores.

Entenda os três métodos de fermentação e confira algumas dicas de como reconhecê-las:

Lager – baixa fermentação

Originária da Europa Central no século 14, é de baixa fermentação ou fermentação a frio (de 6ºC a 12ºC), com graduação alcoólica geralmente de 4% a 5%. Tem entre seus tipos mais conhecidos a Pilsener, criada na cidade de Pilsen, região da Boêmia da República Tcheca, e que por isso, muitas vezes, é chamada de Pilsen ou Pils em vez de Pilsener.

As cervejas Lager possuem características extremamente variadas, divididas em vários subgrupos, sendo eles:

Pale lager: estilo padrão comum, são cervejas de coloração clara.

Dark lager: mais escuras e menos amargas que a Pale, são cervejas de aroma adocicado e espuma pouco persistente.

Vienna: possuem a cor marrom avermelhada, sabor suave e adocicado de malte levemente queimado.

Bock: são avermelhadas, mas podem ser de cor marrom. Possuem um complexo sabor maltado devido às misturas de cevadas de Viena e Munique. A graduação alcoólica é alta, indo de 6% a 10%.

Marzen: conhecidas como Oktoberfestbier, são produzidas especialmente para a Oktoberfest, podendo ser clara ou escura.

Keller e Swickel: pouco comum, não são filtradas, nem pasteurizadas (servidas na pressão e não engarrafadas) e ficam maturando de maneira exposta, sem cobertura. Podem ser bem amargas e têm álcool médio.

Malt Liquorn: termo que surgiu nos Estados Unidos para classificar as Lagers fortes que têm alto teor alcoólico devido à adição de açúcar, enzimas ou outro ingrediente como complemento. Geralmente são licorosas no paladar e em muitos casos não levam lúpulo.

Ale – alta fermentação

É um processo antigo de fabricação, fermentado em altas temperaturas, entre 15ºC e 24ºC. De sabores complexos, maltados e lupulados, as cervejas Ale são mais encorpadas e vigorosas.

Ao longo dos séculos, surgiram inúmeros subtipos de cervejas Ale:

Pale ale: foram criadas para competir com as cervejas Pilsen durante a Segunda Guerra Mundial. São claras, com graduação alcoólica de até 6%.

Brown: o termo foi usado pela primeira vez por cervejeiros de Londres para diferenciar das cervejas Pale. Variam do âmbar ao marrom na cor.

Amber e Red: são estilos de cervejas americanas. Variam do sabor caramelizado ao balanço entre malte e lúpulo.

Altbier: seguem o estilo antigo de produção da Ale, antes mesmo do surgimento da Lager. São consideradas uma ligação entre as cervejas Ale e Lager, por ser feita com fermento da Ale, porém fermentada em temperatura da Lagers.

Scotch ale: são produzidas artesanalmente conforme a tradição escocesa. Com uma forte característica maltada, pouco lúpulo e um toque de flor de Urze (calluna vulgaris), um arbusto típico da Escócia.

Saison: originárias da Bélgica, chegam a ser comparadas a vinhos tintos devido à fermentação e sabores presentes em comum.

Bière de garde: são feitas para durar anos, normalmente têm uma última fermentação na garrafa e muitas vezes são vendidas em garrafas com rolhas.

Strong ales: podem ser claras ou escuras. Possuem alto teor alcoólico, que vai de 6% a 12%.

Belgian strong ale e Belgian specialty ale: ambas produzidas na Bélgica, as temperadas possuem características próprias. A espuma é densa, cremosa e marcante. O aroma é complexo, com notas de frutas.

Kölsch: de origem alemã, que por regra somente cervejas feitas em Köln (Colônia) poderiam levar o nome Kölsch , assim como ocorre com o Champagne, a coloração é dourada, normalmente mais doce e com menos lúpulo.

Weissbier (Weizenbier, Wheat beer ou Cerveja de trigo): claras e opacas, são maltadas por trigo, em que sobressai as notas adicionais, bem como sabores frutados (banana e maçã), cravo e florais. Sua textura é como um creme denso e persistente. Bastante refrescantes e de graduação alcoólica moderada (entre 5% e 6%).

Stout: escuras e opacas, possuem sabor de chocolate, café e malte torrado, com pouca carbonatação (gaseificação).

Lambics – fermentação espontânea

De formatação espontânea, é o tipo mais antigo de cerveja produzida no mundo.

É feita de trigo, porém não é adicionada levedura no mosto, ficando a fermentação a cargo dos agentes naturais, os quais são encontrados somente numa pequena área ao redor de Bruxelas. Por ser um tipo muito peculiar de cerveja, é difícil de ser encontrada no Brasil.

Dotada de numerosos aromas, vai do frutado (como framboesa, cereja ou banana) ao extremamente cítrico (como vinho branco ou vinagre).

Agora que você conheceu um pouco sobre a variedade da cerveja, que tal convidar os amigos para desfrutar de novas experiências? Permita-se viver e apreciar as diversas opções dessa iguaria.

leia mais:

Dicas de presente para o amigo-secreto/oculto
Dicas de presente para o amigo-secreto/oculto

Dicas de presente para o amigo-secreto/oculto

Presentes são para surpreender e demonstrar admiração, assim a escolha deve ser baseada em quem vai receber. Confira as dicas e sugestões de presentes.

11 de Dezembro de 2013

O copo ideal para degustar cerveja
O copo ideal para degustar cerveja

O copo ideal para degustar cerveja

Você sabia que o copo ideal destaca melhor o sabor da cerveja? Confira algumas sugestões de como servi-las para que seu teor se destaque.

21 de Novembro de 2013

Momentum
Voltar ao topo
SUCESSO 
 
texto
mensagem
texto