Junho vermelho enfatiza urgência de doar sangue na pandemia

Estoques de todo Brasil tiveram redução em torno de 10% desde a chegada da Covid-19 no país.

26/06/2021

Junho vermelho enfatiza urgência de doar sangue na pandemia

Menos de 2% da população brasileira é doadora de sangue. E esse número diminuiu mais ainda durante a pandemia do coronavírus.

Segundo dados do Ministério da Saúde, houve uma redução de cerca de 10% nos estoques dos bancos de sangue de todo o país desde o início de 2020. Em 2019, foram realizadas 3.271.824 coletas de sangue no Brasil e em 2020 esse número encolheu para 2.958.665.

Neste ano, a campanha Junho Vermelho, que é motivada nesse período pelo Dia Mundial do Doador de Sangue (14/6) e também pelas baixas temperaturas da época, quando os estoques são bastante afetados, teve o objetivo de aumentar o número de doações de sangue nos hemocentros do país, principalmente em um momento tão delicado em que o mundo precisa de mais solidariedade.
 
É totalmente seguro e necessário

Se você tem interesse e está apto a doar sangue, é importante saber: todas as medidas de segurança em relação à covid-19 estão sendo adotadas pelos hemocentros do país desde o início da pandemia. Para evitar aglomerações, é possível ainda realizar agendamentos pelo site da Fundação Pró-Sangue.

Se você já foi vacinado contra a Covid-19, deve estar atento ao tempo de espera necessário para doação. Quem tomou a CoronaVac, do Butantan, precisa esperar 48 horas. Já os que receberam a AstraZeneca, da Fiocruz, ou a Pfizer, podem fazer a doação depois de 7 dias.

Informe-se no hemocentro da sua cidade ou região e saiba como doar em segurança. Sua doação pode salvar até 4 vidas.

Ah, e se você doou sangue nos últimos 6 meses ou pretende se tornar um doador, conheça a campanha Momentum de Doar.

leia mais:

Momentum
Voltar ao topo
SUCESSO 
 
texto
mensagem
texto