Jardins de baixa manutenção

Algumas espécies demandam menos tempo de manutenção e contribuem para um belo paisagismo. 

12/07/2019

Jardins de baixa manutenção

Quem tem uma casa de campo para curtir temporadas, sejam períodos de férias, feriados ou simplesmente alguns finais de semana ao longo do ano, dificilmente tem muito tempo para cuidar do paisagismo. Mas isso não quer dizer que sua casa não pode ter esse diferencial, para valorizar e embelezar o imóvel.

Um dos caminhos a seguir nesses casos é apostar nos jardins de baixa manutenção, formados por espécies que exigem menor frequência de podas, bastando cuidados periódicos de irrigação e adubação, para as plantas seguirem firmes e fortes.

Para começar com as dicas, vale lembrar que a grama, base de muitos projetos, é uma das que mais demandam manutenção, pois precisam ser cortadas com frequência, principalmente nos períodos chuvosos. Trocar a grama por outras plantas, como grama amendoim, lambari roxo e clorofito, e forrar uma parte do solo com outros materiais, como pedriscos, seixos rolados, argila expandida e cascas de árvores, pode ser uma boa maneira de fugir do stress do “corta-cresce” da grama.

Escolha formas naturais para o seu jardim, sem a necessidade de manter tudo bem retinho e alinhado, respeite a distância entre as espécies plantadas e use vasos, maciços ou canteiros para algumas delas. O espaço reduzido diminuirá, também, a manutenção.

Espécies indicadas

Plantas baixas: mais indicadas para maciços e cerca viva: podocarpos, zâmia, ruelia azul, hera-roxa, odontonema, tumbergia erecta, viburno, alamanda amarela, guaimbe, cróton, lírio amarelo, moreia, íris da praia, hibisco, orelha de onça, bela emília, capim (dos pampas, texas verde, rubro e branco, barba de bode), ave do paraíso e lantana.

Plantas altas: cicas (revoluta e circinalis), piteiras (agave americana, do caribe, tromba de elefante, furcreia), iuca, jasmim manga, areca bambu, rafia, manacá da serra, arvore do viajante e coqueiro.

Trepadeiras: tumbergia trepadeira, sapatinho de judia, sete léguas, ipomeia, ipomeia africana, jade vermelha, jasmim dos açores, abutilon, primavera e congeia.

Bromélias também podem ser usadas com forração de granilha ou seixos rolados e podem ser plantadas em maciços ou em vasos.

Uma outra dica, essa já mais conhecida, é apostar nas suculentas, que são super-resistentes e precisam de pouquíssima água para se desenvolver.

Pensar no paisagismo dessa maneira pode até exigir um investimento maior inicialmente, mas a redução na manutenção trará economia suficiente para que ele seja compensado futuramente.

Entre em contato com o seu paisagista, que certamente terá dicas perfeitas para o seu espaço.

leia mais:

Momentum
Voltar ao topo
SUCESSO 
 
texto
mensagem
texto