Estilo de vida: Você conhece o Slow Movement ou Movimento Devagar?

Em um mundo que cultua a pressa e acúmulo de atividades, a palavra de ordem para fazer a diferença é desacelerar. Conheça o movimento que vem ganhando o mundo e preza por mais qualidade de vida. 

13/11/2015

Estilo de vida: Você conhece o Slow Movement ou Movimento Devagar?

Você já teve a sensação de viver correndo contra o tempo? De querer fazer tudo o mais rápido possível, de agilizar e ser prático a todo instante?

Se já se sentiu assim, saiba que esta não é uma realidade só sua. A sociedade de hoje vive uma rotina acelerada. As pessoas são obstinadas por processos, atividades e tecnologias que otimizam o tempo, não para aproveitar o momento que sobra com isso, mas para poder acumular outras tarefas que parecem não caber em 24 horas.

Pequenos prazeres da vida como curtir a natureza, observar o sol se por, ouvir o canto dos pássaros, brincar com as crianças, fazer um piquenique no parque ou apenas descansar são atividades que perderam não só o espaço nas agendas como também perderam o seu valor. Passam despercebidas ou se são lembradas, são tidas como supérfluas, quase um insulto à nossa posição de “ser humano ocupado demais para se dar ao luxo de ter horas de lazer”.

Como o Permita-se Viver incentiva as pessoas a desacelerar e preza pelo  bem-estar, pés descalços na grama, banho na represa, apanhar fruta no pé e mais uma porção de coisa simples da vida, vamos fazer uma série de posts sobre um movimento famoso no mundo inteiro e que é a nossa cara!


Slow Movement

Um movimento mundial conhecido como Slow Movement - ou Movimento Devagar, no Brasil - tem desafiado esse culto à velocidade e ganhado cada vez mais adeptos.

Trata-se de uma filosofia de vida que prega a desaceleração, mais qualidade de vida e relações pessoais. A ideia é fazer as pessoas se desconectarem para então se reconectarem com elas mesmas e com as demais à sua volta.

Em um mundo onde se fazem cada vez mais coisas em menos tempo, a ideia é primar pela qualidade e não pela quantidade. As premissas básicas são:
·         Diminuir o número de tarefas no dia a dia.
·         Fugir das tecnologias nas horas vagas.
·         Reservar tempo para o lazer.

Esse movimento já influenciou diversas áreas: a alimentação – através do precursor slow food, que visa uma alimentação mais saudável e melhor saboreada -, a moda e a arquitetura – com o slow design, que se utiliza de materiais sustentáveis em tecidos e confecção de móveis -, a decoração da casa – com o slow living, que cria cantinhos de refúgio e relaxamento em casa – e a criação dos filhos – através do slow kids ou slow parenting, que prega que crianças sejam crianças, brinquem e tenham menos atribuições. Isso para citar algumas delas.

O divulgador dessa ideia mundo afora é o escritor e jornalista escocês Carl Honoré – autor dos livros “Devagar” e “Sob Pressão – Resgatando nossos filhos da cultura de hiper-pais”.

Carl diz que o lazer é importante para recarregar as baterias. E o silêncio, para nos conhecermos e nos escutarmos melhor. E convenhamos, nós sabemos que precisamos desse tempo, só é preciso praticar. “O lazer também é importante para produzir no trabalho. Com tempo para desacelerar, voltamos para o trabalho com mais energia, clareza e criatividade. Os empregados mais produtivos no mundo hoje em dia são provavelmente os franceses, que trabalham apenas 35 horas por semana. E os países nórdicos, onde trabalha-se relativamente pouco, estão entre as economias mais competitivas da Terra”, observou o escritor em entrevista ao portal Vya estelar .

Engana-se quem pensa que aderir a esse movimento é privilégio de quem tem a vida ganha. O importante é buscar um ponto de equilíbrio ao estipular o ritmo a ser tomado e entender que não se trata de ter tempo ocioso. Se antes o lema era “Tempo é dinheiro”, hoje as pessoas querem mais tempo, mesmo que com menos dinheiro, pois vêm se conscientizando de que a correria desenfreada afeta a saúde e rouba alguns prazeres da vida, que dinheiro nenhum paga.

Há coisas que não se podem acelerar, como relacionamento humano e o estreitamento dos laços. Do contrário, criam-se relações superficiais, como pais e filhos que em meio à correria, mesmo vivendo debaixo do mesmo teto, mal conseguem conversar.

                                      

Slow Kids

Em breve, o Permita-se Viver vai contar mais sobre o movimento de desaceleração das crianças. Com pais que vivem a mil por hora, as crianças acabam entrando nesse mesmo ritmo e vêm acumulando cada vez mais atribuições e tendo cada vez menos tempo de serem apenas crianças.

Slow Kids acredita que para as crianças se desenvolverem de maneira saudável, é preciso respeitar seu tempo para que se conheçam melhor, experimentem coisas novas e descubram suas habilidades. E brincar é o caminho pra isso.
 

**E quem estiver em São Paulo e quiser conhecer mais esse movimento, está em um dia de sorte! Um dos poucos eventos promovidos no ano pelo Slow Kids ocorrerá no dia 14/11 no Parque Villa Lobos das 10h às 18h com diversas atividades ligadas à arte, música e sustentabilidade para as crianças, inclusive bebês. Clique aqui para ver a programação. Quem quiser, também pode acompanhar o Facebook www.facebook.com/movimentoslowkids

Se você for, não deixe de nos contar como foi essa experiência! ;) 


Fontes das imagens:

blogdamamae.com.br

direcionalescolas.com.br

leia mais:

Momentum
Voltar ao topo
SUCESSO 
 
texto
mensagem
texto